Blog da DaniCoronavírusNewsRun

É oficial! Dez Milhas Garoto descarta edição em 2021

0

Como já era esperado, a 31ª edição da Dez Milhas Garoto, cancelada em 2020, também não será realizada em setembro de 2021.

Diante de tantos questionamentos dos seguidores do Movimento Dani-se. Vou Correr, entrei em contato com a organização da prova para cobrar um posicionamento e a resposta foi a seguinte:

“Considerando o cenário atual, a Chocolates Garoto anuncia que a 31ª edição da Dez Milhas Garoto e a 19ª edição da Corrida Garotada não serão realizadas em 2021. A decisão reforça o comprometimento da empresa em oferecer segurança ao público e a todas as pessoas envolvidas na organização do evento, que é uma das maiores provas de rua do Brasil, bem como oferecer segurança para os atletas, que viajam especialmente para a prova, alguns de fora do Brasil.

A corrida voltará a ser realizada após a identificação de um cenário seguro e saudável à toda a população, garantindo a tradição de uma experiência única em provas de rua. A Chocolates Garoto torce para que esse cenário seja alcançado no próximo ano, possibilitando a realização da prova em 2022.”

É isso, pessoal! Vamos continuar nos cuidando, vacinando e correndo em segurança para sairmos o mais breve possível dessa pandemia. Em 2022, a gente se vê na corrida mais gostosa do Brasil!

Percurso é um dos mais lindos do Brasil

O percurso da Dez Milhas Garoto é de 16km, com largada na Praia de Camburi, em Vitória, passando pela Terceira Ponte, com vista para o Convento da Penha, dois lindos cartões postais do Espírito Santo, e chegada na Fábrica da Chocolates Garoto, em Vila Velha.

Na véspera da corrida para os adultos, é realizada tradicionalmente a Corrida Garotada, destinada ao público infantil com distâncias entre 200m a 800m.

Além dos capixabas, a corrida também atrai muitos atletas e suas famílias de outros estados, ou seja, o cancelamento do evento também impacta o setor de turismo capixaba.

Em 2019, os africanos dominaram a 30ª edição histórica da prova

Em setembro de 2019, a 30ª edição da Dez Milhas Garoto teve domínio estrangeiro. O queniano Geofry Kipchumba foi o campeão, superando seu compatriota Nicholas Keter e o mineiro Giovani dos Santos, segundo e terceiro colocados, respectivamente.

Viola Chemos, de Uganda, venceu no feminino, com a paranaense Joziane Cardoso, em segundo. Na ocasião, a prova reuniu o recorde de 14 mil corredores, incluindo os participantes da Corrida Garotada, disputada na véspera da corrida adulta.

CURIOSIDADES

Há 31 anos, quando a Dez Milhas surgiu, o número de corridas realizadas no Brasil era expressivamente menor. As principais corridas na época eram a São Silvestre, que na época era noturna, e, pouco tempo depois, a Maratona Internacional de São Paulo.

Considerada de grande porte e inserida num grupo muito seletivo de eventos no Brasil, a Dez Milhas é uma das provas mais cobiçadas e conceituadas do Brasil, com estrutura de primeiro mundo e premiação entre as mais atrativas do país.

Para chegar a esse nível de qualidade, a corrida capixaba passou por uma longa trajetória de evolução e melhorias técnicas e estruturais.

Você sabia?

    • Que a primeira Dez Milhas Garoto foi realizada em 17 de setembro de 1989, em comemoração aos 60 Anos da Garoto e recebeu o nome de Corrida Rústica? O evento contou com 735 corredores.
    • Que foi no ano de 1991 que a prova passou pela primeira vez na Terceira Ponte? Um marco na história da corrida.
    • Que em 1998, quando completou 10 anos, a corrida recebeu a participação de estrangeiros pela primeira vez? Na ocasião, o queniano John M. Gwako foi o campeão da prova com o tempo de 47min19s.
    • Quem em 1999 a corrida passou a adotar o chip para controle dos resultados?
    • Que em 2002 a Garoto inovou e realizou a 1ª Corrida Garotada, com 300 crianças participantes?
    • Que nessas 29 edições da corrida, os atletas brasileiros venceram a prova 19 vezes no masculino e 18 vezes no feminino?

Confira os campeões de todas as edições da Dez Milhas Garoto:

1989 – Delmir Alves dos Santos (RJ),50min28s/ Nerci Freitas Costa (RJ),1h04min19s
1990 – Severino J. da Silva (SP),46min42s/ Sônia Márcia Rodrigues (MG),56min42s
1991 – Luís Antônio dos Santos (RJ), 45min49s/ Silvana Pereira (SC), 53min06s
1992 – Delmir Alves dos Santos (RJ), 50min95s/ Viviany Anderson (MG), 1h0min48s
1993 – Luís Antônio dos Santos (RJ), 47min45s/ Silvana Pereira (SC), 56min48s
1994 – Tomix Alves da Costa (MG) – 48min25s/ Silvana Pereira (SC), 57min35s
1995 – Adalberto B. Garcia (SP), 47min21s/ Viviany Anderson (MG), 56min24s
1996 – Delmir Alves dos Santos (SP), 48min04s/ Maria de Lourdes da Silva (BA), 56min18s
1997 – Ronaldo da Costa (MG), 47min21s/ Risoneide Wanderley (SP), 56min43s
1998 – John M. Gwako (Quênia), 47min19s/ Márcia Narloch (RJ), 55min41s
1999 – John M. Gwako (Quênia), 47min23s/ Viviany Anderson Oliveira (MG), 55min41s
2000 – Joseph Waweru (Quênia), 47min24s/ Márcia Narloch (RJ), 55min52s
2002 – Marilson Gomes dos Santos (DF), 47min41s/ Márcia Narloch (RJ), 55min10s
2003 – Valdenor Pereira dos Santos (PI), 48min 58s/ Márcia Narloch (RJ), 56min01s
2004 – Marilson Gomes dos Santos (DF), 47min53s/ Márcia Narloch (RJ), 56min25s
2005 – Franck Caldeira (MG), 48min23s/ Márcia Narloch (RJ), 56min20s
2006 – Marilson Gomes dos Santos (DF),47min39s/ Lucélia Peres (MG), 55mim23s
2007 – Clodoaldo G da Silva (DF), 48min44s/ Edinalva Laureano da Silva (PB), 55min49s
2008 – Willian Gomes (MG), 48min39s/ Nancy Jepkosgei Kipron (Quênia), 56min24s
2009 – Franck Caldeira (MG), 47min58s/ Meseret Heilu (Etiópia), 56min05s
2010 – Marilson Gomes dos Santos (RJ), 47min45s/ Eunice Kirwa (Quênia), 55min11s
2011 – Kimutai Kiplimo (Quênia), 48min05s/ Eunice Jepkirui Kirwa(Quênia), 55min43s
2012 – Joseph Aperumoi (Quênia), 47min01s/ Rumokol Chepkanan(Quênia), 54min13s
2013 – Edwin Kipsang Rotich (Quênia), 47min00s/ Nancy Kipron(Quênia), 55min16s
2014 – Leul Gerbresilase Aleme (Etiópia), 47min18s/ Delvine Meringor (Quênia), 57min08s
2015 – Edwin Kipsang Rotich (Quênia), 47min42s/Delvine Meringor (Quênia), 54min50s
2016 – Joseph Aperumoi (Quênia), 47min29s/Consolata Cherotich (Quênia), 59min49s
2017 – Belete Tola (Etiópia), 48min14s/Esther Kakuri (Quênia), 57min40s
2018 – Wellington Bezerra da Silva (Brasil), 48min55s/Esther Kakuri (Quênia), 57min18s
2019 – Geofry Kipchumba (Quênia), 48min18s/Vila Chemos (Uganda), 59min39s


A Dez Milhas é uma realização da Chocolates Garoto, com supervisão da CBAt (Confederação Brasileira de Atletismo) e da FECAt (Federação Capixaba de Atletismo) e organizada pela Yescom.

Powered by Rock Convert

Mãe só permite que os filhos assistam à TV quando estão na esteira e divide opiniões

Artigo anterior

Comentários

Faça um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

X