Dez Milhas GarotoDez Milhas Garoto 2022Histórias da CorridaPrograma Dani-se. Vou Correr

Gêmeos capixabas começaram a correr juntos na Dez Milhas Garoto

0

Eles não passam despercebidos nas corridas. Nas largadas chamam a atenção pelos bigodes e estão sempre bem-humorados distribuindo abraços e posando para fotos. Os famosos “gêmeos corredores” capixabas, Deolindo e Amarílio Braga, de 70 anos, fazem parte do time dos “Apaixonados pela Dez Milhas Garoto”.

Confira a íntegra da entrevista de Amarílio Braga ao Programa Dani-se. Vou Correr na Rádio BandNews Espírito Santo:

Amarílio jogava futebol e, em 2011, quando abandonou as chuteiras, recebeu de presente do irmão Deolindo, que já corria há mais 20 anos, uma inscrição para a 21ª edição da Dez Milhas Garoto. Foi aí que nasceu não só a paixão pela maior corrida de rua do Espírito Santo, mas também pelo esporte.

DCIM100GOPROGOPR0773.

“Quando eu parei de jogar futebol e estava sem fazer exercício físico, ele me convidou para correr pela primeira vez e a minha estreia foi na Dez Milhas Garoto. E eu corri essa prova com muita energia, muita adrenalina e muita emoção. Depois que eu fiz essa corrida eu não parei mais e nem vou parar. Eu adotei a corrida como uma “namorada”, que eu não abandono nunca. Sou sempre grato ao meu irmão por ter me feito esse convite e me apresentado à corrida”, conta Amarílio.

E foi na linha de chegada, em frente à fábrica da Chocolates Garoto, que nasceu um “ritual” que sempre emociona corredores e espectadores nas provas. Quando não conseguem completar o percurso juntos, o irmão que chegou primeiro volta para buscar o que ficou para trás. De mãos dadas, eles cruzam a linha de chegada e ajoelhados se abraçam e agradecem a Deus.

“Combinamos sempre de correr juntos, mas se tem alguma prova que um está melhor e o outro nem tanto, combinamos de um ir na frente para buscar a premiação na faixa etária. Depois, quem chega primeiro volta. O bonito é chegarmos juntos”, diz Deolindo.

Deolindo participa da Dez Milhas Garoto desde a 5ª edição e coleciona as camisas antigas da prova. Tem no currículo de corredor mais de 400 medalhas que ganhou em competições no Espírito Santo, em outros estados e até internacionalmente. Com a sua experiência, diz cheio de orgulho que tem o maior de prazer de ter em seu estado uma prova respeitada nacionalmente. “É uma corrida maravilhosa e muito respeitada entre os atletas de todo o país. O percurso, sem dúvida, é um dos mais bonitos do Brasil. Desejo vida longa à Dez Milhas Garoto, para que ela não deixe nunca de ser realizada, assim como a São Silvestre, em São Paulo”.

Os gêmeos contam que nem sempre conseguem driblar a rotina de trabalho para correrem juntos. “Como nem sempre estamos trabalhando perto um do outro, quando não dá pra se encontrar, cada um corre para um lado. O importante é treinar!”.

DCIM100GOPROG0130743.

CAMPANHA PROCURA-SE GÊMEOS CORREDORES DE 70 ANOS

Amarília Braga aproveitou a participação no Programa Dani-se. Vou Correr para lançar uma busca bem específica: “corredores gêmeos de 70 anos”. O Dani-se. Vou Correr decidiu ajudar nesse trabalho investigativo e já estamos buscando essa dupla. A ideia de Amarílio é fazermos, juntos, um desafio, um duelo de gêmeos, com percurso de 70km que terá largada no Convento da Penha, em Vila Velha e chegada em Meaípe, em Guarapari. Todos já estão convocados a nos ajudar nessa missão!

Deu samba! Gilson Soares transformou lesão durante treinos para a Dez Milhas Garoto em música

Artigo anterior

Meia Maratona das Praias turbinada em 2023: Night Run, 21k em + de 30 praias, desafio e inscrições a partir de R$ 59

Próximo artigo

Comentários

X