Dani-se. Vou Comer

Aprenda a fazer alho negro que custa R$200 o quilo

0

Você já ouviu falar em alho negro? É um tipo de alho envelhecido, originário da Ásia, muito consumido pelo seu alto teor de antioxidantes. A ele são atribuídos uma série de benefícios para saúde, entre eles: fortalecimento da imunidade, prevenção e atenuação dos sintomas da diabetes, melhora da pressão alta, melhora do colesterol e estudos apontam, efeitos anticancerígenos.

Além disso, o alho negro é incrivelmente saboroso. Seu sabor é adocicado e frutado, remetendo ao melaço e ao tamarindo, sem aquela característica pungência do alho comum. Também pode-se notar um toque de defumado e a presença de Umami (o quinto sabor). Tudo muito sutil e delicado.

É um verdadeiro convite para as criações gastronômicas mais diversas!

Uma espécie exótica?

Engana-se quem pensa que o alho negro é uma espécie diferente de alho. Na verdade, ele é feito a partir do alho comum em um processo de maturação onde é submetido à condições de temperatura e umidade controladas por vários dias. Para produzi-lo, não é adicionado nada além do próprio alho!

Como fazer alho negro em casa

O alho negro é produzido simplesmente a partir da aplicação de tratamento térmico, sem nenhum aditivo ou conservante, apenas o alho com a casca ou descascado.

Confira abaixo a forma mais simples e barata de fazer o alho negro em casa.

1. Coloque o alho em uma panela elétrica no modo “manter a temperatura”.

Lembre-se que o cheiro do alho acaba se impregnando na panela, portanto, é aconselhável adquirir uma panela elétrica para uso específico para o alho negro. É possível encontrar panelas novas de até 100 reais.

2. O cheiro nos primeiros dias é forte, em especial nos primeiros 7 dias, então é recomendável manter a panela em uma área externa. Se possível, dentro de uma caixa, para garantir um melhor isolamento e evitar a perda de energia. Aguarde de 10 a 16 dias.

3. Não deixe passar do ponto para não ficar amargo. Quando a coloração ficar como um chocolate preto é porque está praticamente pronto. Desligue da tomada e deixe descansando na panela até esfriar.

4. Se possível, deixe o alho maturar em um local arejado durante 1 mês. Assim ele ficará menos ácido e com sabor mais robusto.

Dicas essenciais!

1. É muito importante utilizar alhos de qualidade, graúdos e frescos.

O alho é colhido uma vez ao ano aqui no Brasil. Apesar de importarmos mais de 50% do alho consumido aqui da China, Argentina, Espanha nas entre-safras, procure utilizar o alho o mais fresco possível e não esqueça de valorizar o produtor nacional! 🙂

2. Manter a umidade é essencial.

Evite abrir a tampa desnecessariamente fazendo escapar toda a umidade da estufa.

Conheça a Alho Negro do Sítio!

A Alho Negro do Sítio é uma empresa especializada na produção de alho negro e produtos com a iguaria. A dedicação, desde a escolha das sementes, preparo do solo, plantio, colheita até, enfim, a produção do alho negro é o que torna o alho negro da Alho Negro do Sítio tão especial.

Shiro e Sayoko Kondo

Quem cuida da plantação é o Shiro e sua mulher, Sayoko. O cultivo de alho se iniciou em 1981, depois de tragicamente perderem todo seu plantio de abacaxi, devido a uma condição climática chamada Geada Negra. Em busca de uma especialidade mais resistente às alterações climáticas, escolheram o alho. No início, a produção não tinha muita qualidade por conta da falta de prática, mas, com o tempo, foram implantadas diversas técnicas de plantio como a compostagem, cobertura morta, adubação verde e, principalmente, a rotação de culturas. Tudo isso possibilitou um contato mais próximo com a terra e um conhecimento mais profundo sobre o alho. Foi aí que a profissão se tornou paixão!

No catálogo da empresa é possível encontrar uma grande variedades de produtos com o alho negro, como a geleias, pesto, chimichurri, sal, pimenta, mostarda, ghee, azeite e até barrinhas de alho negro! Ficou curioso?

Aproveite e ganhe 5% de desconto na sua primeira compra no site (www.alhonegrodositio.com.br) com o cupom BEMVINDOS.

Informações e imagens: Alho Negro do Sítio/ Gaialabs

Powered by Rock Convert

Cestinhas de crepioca recheadas com atum

Artigo anterior

Comentários

Faça um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

X